sexta-feira, 20 de julho de 2018

As Doenças que Vêm Voando

A Gripe A e o Zika são as principais doenças virais dos últimos dez anos. E ambas têm em comum a dispersão pelo transporte aéreo. Este artigo revê a história da aviação e correlaciona com a disseminação de doenças.

As Doenças que Vêm Voando - Ilustração de Jonathan Carlson
As Doenças que Vêm Voando
Ilustração de Jonathan Carlson

Henrique Helms é especialista em Regulação da ANAC, Doutor em História e ex-piloto da VARIG e da TAM. Ministrou a palestra A Aviação como Vetor de Disseminação de Enfermidades: As Doenças que Vem Voando.


Histórico
# Em 1931, os EUA identificaram a presença de mosquitos em aviões vindos do Caribe;

# Em 1943, o Brasil buscou controlar os mosquitos pela dedetização de aeronaves. Na época, havia o voo de Natal para Dacar;

# Em 1957, ocorreu o surto da Gripe Asiática, a qual ficou conhecida como Singapura. E estabeleceu-se a quarentena para as pessoas que chegassem de avião ou navio. Uma tentativa de blindar a infecção. Morreram mais de 1 milhão de pessoas. Isso ocorreu um ano antes da explosão da aviação;

# Esta iniciou em 1958, quando surgiu a PanAm. A partir de então, as linhas aéreas passaram a comunicar o mundo inteiro. Isso facilitou o transporte e, também, a transmissão de doenças;

# Em 1968, iniciou o surto da Gripe de Hong Kong.


Anos 2000
# Em 2002, um médico atendeu um paciente com SARS em hotel, na China. Transmitiu a doença a cerca de 30 pessoas no próprio hotel. No avião, um passageiro transmitiu-a para outros 20 passageiros. E estes infectaram cerca de 300 pessoas;

# No final de fevereiro de 2009, surgiram os primeiros casos de Gripe A, no México. Em abril, registrou-se o primeiro paciente nos EUA. Em maio, no Brasil. Em junho, a Gripe A era uma pandemia;

# O Zika vírus surgiu no Pacífico e disseminou-se no Brasil, em 2015, na Copa das Confederações. Os principais focos são em regiões próximas à Linha do Equador. Dessa forma, no nordeste brasileiro as infecções ocorrem o ano todo. No resto do país, vemos o mosquito quase só no verão.

A maioria das pessoas chega a Hong Kong por voos internacionais. Assim, o país serve no estudo da disseminação de infecções. Identificou-se que o papel do avião prepondera até o dia 150 após o início da transmissão. Daí em diante, a transmissão por terra é mais relevante.


A Aviação Hoje
O transporte aéreo perdeu a relação que tinha com o trabalho. Em 2016, 69% das viagens eram pessoais. A maioria com fins de turismo. E só 31% dos passageiros voavam a negócio.

Em 2017, registraram-se mais de 4 bilhões de passageiros. Isso significa mais da metade da população mundial. É claro: alguns passageiros fazem dezenas de viagens por ano. Mesmo assim, o número impressiona.

Outro número que impressiona é a capacidade do Airbus A380, avião top de linha no momento. Esta aeronave é capaz de transportar de 550 a 800 passageiros, dependendo da configuração da mesma.


Síndrome Aerotóxica
Por fim, é importante ressaltar que as doenças relacionadas à aviação não se limitam às infecção virais. A Síndrome Aerotóxica é uma realidade. Um sinal é o cheiro de óleo na cabine.

A Inglaterra foi o primeiro país a alertar sobre a Aerotoxic Syndrome. Em especial nas aeronaves Boeing 757 e Airbus A320. A Alemanha, também, mostra muita preocupação e controle com a síndrome.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design