sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Chegada dos Europeus no Brasil

Quando os jesuítas espanhóis chegaram ao Rio da Prata, os portugueses já estavam a mais de 50 anos no Brasil. Anchieta chegou em 1553 e elaborou um dicionário guarani. Ou seja, quando os espanhóis chegaram, já tinham gramáticas e dicionários guaranis.

Padre Jesuíta José de Anchieta
Padre Jesuíta José de Anchieta

Os jesuítas queriam o contato com os índios na floresta. Os do planalto eram violentos (kaingang). Assim, trouxeram o gado da Europa. Ele reproduziu-se livre no pampa. Era uma estratégia para "cristianizar" o índio.

Para isso, era necessário torná-lo sedentário. Assim, o guarani trocou a floresta pelo campo. Deixou de ser um caçador nômade. E envolveu-se com o rebanho e agricultura ("cultura de campo aberto").

Porém, isso gerou conflitos. Guarani significa "guerreiro", em guarani. Portanto, querer transformar o índio em camponês era uma ofensa. O homem era caçador. E a mulher, coletora e plantadora.

Os guaranis conheciam lugares com boas vertentes. E os jesuítas trouxeram a técnica de perfuração de poços. Também trouxeram a escada e o machado. E o cachorro era outro animal que não havia na América.

Os guaranis adotaram a boleadeira, típica de charruas e minuanos. Na verdade, ela já servia como instrumento de caça, há 6.000 anos na Patagônia. E há pelo menos 4.000 anos apareceu no atual território do RS.

Após descobrirem a erva mate, exportavam-na a Assunção e Buenos Aires. E as índias do cotiguaçu eram famosas pela alta qualidade do algodão que produziam.

O padre Anton Von Sepp foi menino cantor de Viena. E ficou responsável por São João Batista. Usou a pedra itacuru na metalurgia. Logo o jesuíta ganhou a fama de "mágico poderoso". E fez o índios pularem do neolítico para a idade dos metais.

A outra "mágica" era a arquitetura urbana de barro e pedra. E com esta técnica, Sepp construiu o tambo. Hospedaria para os europeus que chegavam. Os doentes ficavam de quarentena. Isso evitava a contaminação dos índios.

Na Biblioteca Nacional de Paris, há uma mapa da redução de São Batista. Ao invadir a Espanha, Napoleão fez uma lista de obras a confiscar. A ideia era criar um museu. E o museu napoleônico deu origem ao Louvre.

Roque Gonzalez impressionou-se com a aceitação guarani. Era filho de mãe guarani e pai espanhol. Os jesuítas germânicos eram mais intransigentes. Já os latinos, por sua vez, aceitavam melhor as diferenças culturas.

E eram diversas, é claro. Após três gerações de jesuítas, eles não conseguiram mudar a poligamia dos caciques. Por ter muitas mulheres, um cacique dava muitos presentes (artesanatos). Assim, a tribo via-o como "um bom homem".

Os guaranis isolavam-se em casas (ocas). E os casamentos não podiam ocorrer entre os membros da mesma casa. Nas missões jesuítas, as casas deixaram de ser elípticas. E passaram a ser retangulares.

Os guaranis chamavam os padres de abarés ("homem que não gosta de mulher"). Tal comportamento causava estranheza. O cacique oferecia mulheres aos jesuítas e estes as recusavam. Aquilo, para o cacique, era uma ofensa.

A religião, enfim, era uma fonte eterna de divergências. Os guaranis acreditavam que chegariam ao paraíso caminhando. Para os jesuítas, só se alcança o paraíso após a morte. Algo incocebível para os índios...

Assim, os grandes movimentos populacionais geram tensão, depois síntese. O gaúcho é um tipo novo. Tem um pouco de europeu. Outro tanto de guarani. Alguns traços de charrua. O europeu tomava banho 1x/mês. O índio, 5x/dia.

Adaptado da aula “As Missões Jesuíticas Coloniais na Região Platina” e da palestra “Guaranização e Europização nas Missões Jesuítas do Rio da Prata”, do Historiador e Professor Arno Kern.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design