terça-feira, 31 de maio de 2016

Casa do Imigrante, São Leopoldo

Em 14/10/1788, a Coroa Portuguesa transferiu a Feitoria do Linho-Cânhamo. De Canguçu, Pelotas, ela foi para o Faxinal do Courita, à margem esquerda do Rio dos Sinos. A área, hoje, pertence à cidade de São Leopoldo.

Antiga Casa dos Teares da Feitoria, na Casa do Imigrante, São Leopoldo
Antiga Casa dos Teares da Feitoria

Ali se construiu a Casa dos Teares, o principal prédio do estabelecimento agrícola. E abrigava as famílias de agricultores escravos. Em 31/03/1824, porém, Dom Pedro I ordenou a desocupação do local.

O prédio serviu de alojamento aos alemães. Os imigrantes chegaram a Porto Alegre, em 18/07/1824. E em 25/07/1894, chegaram a São Leopoldo. A data marcou a fundação da cidade. Na época, a “Colônia Alemã”.

Cristaleira na Casa do Imigrante, São Leopoldo
Cristaleira na Casa do Imigrante

Posteriormente, a Prefeitura Municipal adquiriu o prédio. Restaurou-o em estilo enxaimel. E doou-o, em 1941, ao Museu Histórico Visconde de São Leopoldo. O prédio, assim, ganhou o nome de Casa do Imigrante.

Em 1992, o prédio foi tombado pelo Patrimônio Histórico. Ele é uma referência da formação cultural de São Leopoldo. No interior, há móveis coloniais. No exterior, um conjunto de lápides de imigrantes alemães.

Localização: Avenida Feitoria, 3140, São Leopoldo.

Veja também...
Visita à Casa do Imigrante

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Igreja Matriz de São Leopoldo

A inauguração da Igreja Nossa Senhora da Conceição ocorreu em 1865. O templo substituiu a igreja originada da rústica capela de 1824. Os imigrantes construíram a capela logo após chegarem a São Leopoldo.

Igreja Matriz de São Leopoldo
Igreja Matriz de São Leopoldo

Localização: Praça Tiradentes, 68, Centro de São Leopoldo.

Veja também...
Centro Histórico de São Leopoldo

domingo, 29 de maio de 2016

Rua Independência, São Leopoldo

A Rua Independência fica no centro de São Leopoldo. Historicamente, ela é conhecida como Rua Grande. A Rua Independência sempre se destacou como a principal rua comercial da cidade.

Theatro Independência, São Leopoldo
Theatro Independência, São Leopoldo

Um dos símbolos da rua é o Cine Theatro Independência. O cinema começou a funcionar em 1924, dez anos após o Cine-Teatro Coliseu. Antes disso, apenas a Sociedade Orpheu exibia filmes.

Atualmente, a Rua Independência destaca-se como o Polo Gastronômico. O selo de qualidade identifica os bares e restaurantes mais bem estruturados da cidade de São Leopoldo.

Veja também...
Visita à Casa do Imigrante

sábado, 28 de maio de 2016

Museu do Trem, São Leopoldo

A Estação Ferroviária de São Leopoldo, inaugurada em 14 de abril de 1874, foi a primeira do Rio Grande do Sul. E com a extensão da linha férrea até Porto Alegre, concluiu-se o primeiro trecho ferroviário do Estado.

Antiga Locomotiva no Museu do Trem, São Leopoldo
Antiga Locomotiva no Museu do Trem

A estação de construção inglesa passou a abrigar o Museu do Trem, em 1976. Este foi tombado como Patrimônio Histórico, em 1983. E, desde 1985, abriga o Centro de Preservação da História da Ferrovia no Estado.

Hoje, o Museu do Trem conserva máquinas e equipamentos de trens de carga e de passageiro. Documentos da Rede Ferroviária Federal estão disponíveis para consulta de pesquisadores.

Telefone de Mesa Ericsson no Museu do Trem, São Leopoldo
Telefone de Mesa Ericsson

Localização: Rua Lindolfo Collor, 40, Centro de São Leopoldo.

Veja também...
Centro Histórico de São Leopoldo

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Igreja do Relógio, São Leopoldo

A inauguração ocorreu em 1911. E a Igreja de Cristo – chamada Igreja do Relógio, ainda conserva os móveis originais de madeira esculpida. O órgão musical veio com os imigrantes luteranos da Alemanha.

Igreja de Cristo ou Igreja do Relógio (Luterana) - São Leopoldo
Igreja de Cristo ou Igreja do
Relógio, em São Leopoldo

Localização: Rua Marquês do Pombal, 480, Centro de São Leopoldo.

Veja também...
Centro Histórico de São Leopoldo

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Sociedade Orpheu, São Leopoldo

Em 20/01/1858, um quarteto duplo de cantores fundou, na casa de Jacob Geyer, a Sociedade Mannergesang Orpheus. Os objetivos eram enobrecer o canto alemão e promover a vida sociável dos imigrantes alemães.

Sociedade Orpheu, São Leopoldo
Sociedade Orpheu, São Leopoldo

A lira tornou-se o símbolo da Sociedade de Canto Orpheu E a instituição, o ponto de encontro de autoridades e de empresários. Em 1865, Dom Pedro II, em visita ao Estado, conheceu o primeiro clube social do Brasil.

Hoje, a Sociedade Orpheu tem quatro sedes: Social, Campestre, Tiradentes e Iguassu. E ainda é um tradicional palco de apresentações sócio-culturais. As festas mais conhecidas são o Carnaval e o Baile de Debutantes.

Localização: Rua Brasil, 506, Centro de São Leopoldo.

Veja também...
Centro Histórico de São Leopoldo

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Museu Histórico Visconde de São Leopoldo

A fundação do Museu Histórico Visconde de São Leopoldo ocorreu em 1959. Hoje, o local reúne mais de mil peças. E a biblioteca abriga mais de oito mil volumes sobre história, geografia, tradição, arte e folclore.

Quadro - Chegada dos Alemães no Rio Grande do Sul - Museu Histórico de São Leopoldo
Chegada dos Alemães no Rio Grande do Sul

O maior destaque é a documentação sobre a imigração alemã. O museu reúne fotos históricas, mapas, certidões e escrituras. Há também jornais, revistas, livros, discos pertencentes aos descendentes de imigrantes.

Harmônio no Museu Histórico de São Leopoldo
Harmônio no Museu Histórico de São Leopoldo

Na entrada do Museu, há dois bustos. A Imperatriz Leopoldina nasceu, em 22/01/1797, na Áustria. Faleceu, no Brasil, em 11/12/1826. O nome da cidade é uma homenagem à esposa do Imperador Dom Pedro I.

Busto da Imperatriz Leopoldina no Museu Histórico de São Leopoldo
Imperatriz Leopoldina

Uma homenagem indireta. Afinal, São Leopoldo é o santo padroeiro da Áustria. O embaixador austríaco doou à cidade, em 1979, uma réplica, em madeira. O original, em pedra, está no Convento de Losterneuburg.

Imagem de São Leopoldo - Santo Padroeiro da Áustria no Museu Histórico de São Leopoldo
São Leopoldo: Santo Padroeiro da Áustria

O outro busto é de José Feliciano Fernandes Pinheiro. O Visconde de São Leopoldo nasceu em 09/05/1774. E faleceu em 16/07/1847. Era Presidente da Província, em 1824, ocasião da chegada dos imigrantes alemães.

Quadro do Visconde de São Leopoldo no Museu Histórico de São Leopoldo
Visconde de São Leopoldo

Localização: Avenida Dom João Becker, 491, Centro de São Leopoldo.

Veja também...
Centro Histórico de São Leopoldo
História de São Leopoldo no Museu

terça-feira, 24 de maio de 2016

Ponte 25 de Julho, São Leopoldo

O nome da Ponte 25 de Julho faz referência à data de chegada dos alemães, em 1824. A construção centenária de ferro foi a primeira travessia do Rio dos Sinos. A Ponte Velha foi tombada pelo Patrimônio Histórico.

Ponte 25 de Julho (Ponte Velha), São Leopoldo
Ponte 25 de Julho, São Leopoldo

Localização: Avenida Caxias do Sul, São Leopoldo.

Veja também...
Centro Histórico de São Leopoldo

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Rio dos Sinos, Rio Grande do Sul

É o mais poluído da Região Metropolitana de Porto Alegre. Afinal, às suas margens, fica o maior parque industrial do RS. A foz é na capital gaúcha. E, ali, junto com os rios Gravataí, Caí e Jacuí, forma o Lago Guaíba.

Rio dos Sinos, Ponte 25 de Julho e Igreja Matriz de São Leopoldo, no Museu Histórico de São Leopoldo
Rio dos Sinos, Ponte 25 de Julho
e Igreja Matriz de São Leopoldo

O Rio dos Sinos é navegável da foz até São Leopoldo. A navegabilidade do rio tem importância histórica. São Leopoldo auxiliou Porto Alegre, sitiada durante a Revolução Farroupilha, usando o Rio dos Sinos para transporte.

E através do Rio dos Sinos os imigrantes alemães chegaram a São Leopoldo. Os alemães chegaram a Porto Alegre, em 18/07/1824. E desembarcaram em São Leopoldo, uma semana depois, em 25/07/1824.

Veja também...
Centro Histórico de São Leopoldo

domingo, 22 de maio de 2016

São Leopoldo, Rio Grande do Sul

São Leopoldo fica a 30 km de Porto Alegre. E é berço da colonização alemã no RS. Até então, a Feitoria do Linho-Cânhamo era um centro de produção agrícola da colônia portuguesa. Dom Pedro I queria povoar a região.

Cidade de São Leopoldo, no mapa do Rio Grande do Sul
São Leopoldo, Rio Grande do Sul

Os prédios centenários conservam os valores histórico-culturais da formação do município. E a religiosidade dos imigrantes fica evidente nas construções do Roteiro Turístico-Religioso. Muitas peças vieram da Alemanha.

A cidade também é ponto de partida da Rota Romântica. Fica na confluência das rodovias BR-116 e RS-240. A primeira leva à Serra Gaúcha. A segunda é o principal acesso do Vale do Sinos à Metade Sul e ao Interior do Estado.

Mapa de São Leopoldo adaptado do Wikipedia.

Cachimbo da Prússia Ocidental no Museu Histórico de São Leopoldo
Cachimbo no Museu Histórico


História da Cidade
Os alemães chegaram em 25/07/1824. E a colônia recebeu o nome de São Leopoldo. Uma homenagem à Imperatriz Leopoldina, esposa de Dom Pedro I. O Visconde de São Leopoldo era o Presidente da Província, na época.

A colônia estendia-se por mais de 1.000 km2. Ao sul, o limite era a atual cidade de Esteio. Ao norte, o Campo dos Bugres (Caxias do Sul). Ao leste, Taquara. E a oeste, o Porto dos Guimarães (São Sebastião do Caí).

Foto de Grupo Escolar do Início do Sáculo XX, no Museu Histórico de São Leopoldo
Grupo Escolar do Início do Sáculo XX

Na Revolução Farroupilha, São Leopoldo deu suporte a Porto Alegre, sitiada, via Rio dos Sinos. Em 01/04/1846, a colônia emancipou-se da capital. Em 1874, começou a funcionar a ferrovia comunicando as duas cidades.

Em 1974, São Leopoldo comemorou os 150 anos da imigração alemã. A festa contou com a presença do General Ernesto Geisel. O ex-presidente emocionou-se durante a encenação da chegada dos alemães.

Prato da Casa do Imigrante no Museu Histórico de São Leopoldo
Prato da Casa do Imigrante


Distâncias
Canela = 106 km
Caxias do Sul = 99 km
Dois Irmãos = 24 km
Farroupilha = 75 km
Garibaldi = 80 km
Gramado = 99 km
Morro Reuter = 29 km
Picada Café = 54 km
Santa Maria do Herval = 43 km

Tábua do Clube de Tiro no Museu Histórico de São Leopoldo
Tábua do Clube de Tiro

Atrativos de São Leopoldo

sábado, 21 de maio de 2016

As Tradições Alemãs em Nova Petrópolis

O último espaço do Parque Pedras do Silêncio resgata as tradições alemãs de Nova Petrópolis. Os imigrantes alemães mantiveram a culinária, as danças e os jogos da terra natal. Assim, preservaram as origens culturais.

Danças Típicas -  Tänze, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Danças Típicas Alemãs em Nova Petrópolis

Continuação de...
Os Pioneiros na Colonização Alemã em Nova Petrópolis


As esculturas de tradições alemãs não seguem uma ordem cronológica ou temática. Tanto que a chegada da família de imigrantes é uma das últimas obras do parque. Esta escultura gigante é a principal obra do parque.

Também chama a atenção o destaque da mulher apenas na última obra do parque. Ela não é vista dentre os pioneiros e as profissões. Nas profissões, compreende-se que a atividade da mulher era mais doméstica.

Rapapau - Instrumento Musical Rústico, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Rapapau - Instrumento Musical Rústico

Listarei as obras pela ordem numérica. Ou seja, na sequência adequada para quem segue a trilha a partir da portaria do parque. E neste caso, o espaço dedicado às tradições segue o dedicado aos pioneiros.


Danças Típicas (Tänze)
A dança era uma atividade frequente entre os imigrantes alemães. A cultura segue viva na cidade.

Danças Típicas (Tänze), Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Danças Típicas (Tänze)


Bolão (Kegel spiel)
O esporte veio da Europa. A prática do bolão continua usual na cidade de Nova Petrópolis.

Bolão (Kegel spiel), Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Bolão (Kegel spiel)


Tiro ao Alvo (Schütze)
O esporte veio da Europa. Surgiu como treinamento. Para a pessoa estar em forma quando precisasse usar a arma para a proteção.

Tiro ao Alvo (Schütze), Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Tiro ao Alvo (Schütze)


O Chimarrão
O chimarrão é um chá. E provém das folhas e dos galhos da erva mate. Este chá possui propriedades digestivas e diuréticas. Além do papel social, por ser saboreado em família ou entre amigos.

O Chimarrão, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
O Chimarrão


O Guarani e O Chimarrão
Os índios guaranis tinham o hábito de tomar o chimarrão (caá) em festejos comunitários. Eles usavam bombas de bambu (Tacuapi) para beber.

O Guarani e O Chimarrão, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
O Guarani e O Chimarrão


O Gaúcho e O Chimarrão
O chimarrão foi um importante aliado digestivo do gaúcho. Afinal, a dieta do Estado baseia-se no consumo de carne. O gaúcho passou o hábito para o imigrante.

O Gaúcho e O Chimarrão, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
O Gaúcho e O Chimarrão


Recebendo o Chimarrão
O imigrante alemão recebe das mãos do gaúcho a tradição do chimarrão.

Recebendo o Chimarrão, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Recebendo o Chimarrão


A Cerveja (Bier)
Os imigrantes alemães trouxeram a cerveja para o Brasil.

A Cerveja (Bier), Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
A Cerveja (Bier)


Cervejarias Locais
A escultura homenageia as duas cervejarias de Nova Petrópolis, em 1885: Colonial e Cervejaria Kehl.

Cervejarias Colonial e Kehl, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Cervejarias Colonial e Kehl


Forno à Lenha (Backofen)
A avó tira a cuca do forno à lenha. Ainda hoje, a cuca faz parte da tradição culinária de cidades colonizadas por alemães, como Nova Petrópolis.

Forno à Lenha (Backofen), Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Forno à Lenha (Backofen)



Contando Histórias (Geschichten erzählen)
O avô conta histórias aos netos. Ele passa, assim, as experiências, as vivências, os conhecimentos. E preserva o idioma.

Contando Histórias (Geschichten erzählen), Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Contando Histórias


Rapapau
Instrumento caseiro rústico para despertar na criança o gosto pela música.

Rapapau, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Rapapau


Carrinho de Lomba
Diversão das crianças no fim de tarde ou no fim de semana.

Carrinho de Lomba, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Carrinho de Lomba


Boas-Vindas
Homem saúda os imigrantes recém-chegados.

Boas-Vindas, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Boas-Vindas


Família de Imigrantes
A família de imigrantes chega à colônia. Há uma mala e uma trouxa, com poucos pertences. O homem traz um machado nas mãos. A mulher, o bebê no colo. O filho tem uma pomba nas mãos. E muita esperança de um futuro melhor.

Família de Imigrantes, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Família de Imigrantes


Oferta de Sementes
Um homem oferece sementes à família recém-chegada. Assim, ela poderá produzir o próprio alimento.

Oferta de Sementes, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
Oferta de Sementes


A Mulher
A última escultura do Parque Pedras do Silêncio mostra a mulher imigrante: bela, delicada, sensível e confiante no futuro.

A Mulher, Tradições dos Imigrantes Alemães no Parque Pedras do Silêncio, Nova Petrópolis
A Mulher

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design