quinta-feira, 30 de abril de 2015

Santa Vitória do Palmar, Rio Grande do Sul

Penúltima cidade do Brasil, Santa Vitória do Palmar, situada no extremo sul do RS, tem como principal atrativo a Reserva Ecológica do Taim. A reserva fica a 120 km do centro. E é compartilhada com o município de Rio Grande.

Santa Vitória do Palmar, Rio Grande do Sul

No centro de Santa Vitória do Palmar, ficam a Igreja Matriz de Santa Vitória e o Theatro Independência. Mais afastados ficam o Porto Municipal (7 km), a Praia do Hermenegildo (18 km) e a Barra do Chuí (29 km).

O município tem na origem de seu nome uma planta típica encontrada em grande quantidade no extremo sul do Estado. As palmeiras de butiá, no Rio Grande do Sul, são conhecidas, também, como jerivá.

Santa Vitória do Palmar é o segundo maior produtor gaúcho de arroz. Perde apenas para Uruguaiana. E de acordo com o Instituto Rio-Grandense de Arroz, o município produz mais de 400 mil toneladas por safra.

Mapa de Santa Vitória do Palmar adaptado do site Wikipedia.


Distâncias
Chuí = 23 km
Pelotas = 243 km
Porto Alegre = 504 km
Rio Grande = 230 km


Atrações Turísticas

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Museu Oceanográfico e Museu Antártico de Rio Grande

O Museu Oceanográfico de Rio Grande é considerado um dos principais do gênero, no Brasil. Junto a ele funciona o Museu Antártico. Ele descreve o continente gelado e registra as expedições brasileiras.

Réplica da Estação Comandante Ferraz, Museu Antártico de Rio Grande
Réplica da Estação Comandante Ferraz.

Continuação de...
Centro Histórico de Rio Grande


Museu Antártico
Iniciei a visita pelo Museu Antártico. O acervo está disposto em contêineres verdes. É uma representação muito aproximada a Estação Antártica Brasileira “Comandante Ferraz”, quando foi inaugurada, em 1983.

O primeiro contêiner descreve a origem da Antártida. A visão dos antigos mapas. A formação geológica e o clima. O oceano que a banha. Os outros contêineres falam sobre os animais que habitam a Antártida.

Veículo para locomoção na Antártida, Museu Antártico de Rio Grande
Veículo para locomoção na Antártida.

Há ainda um contêiner registrando um histórico de expedições. Desde os pioneiros, até a chegada brasileira à Antártida, em 1983. Primeiro, através de navios. Depois, com aviões e helicópteros da Marinha.


Museu Oceanográfico
Trata-se de um museu extremamente didático. Mas que peca por não reunir no acervo animais vivos, como o Ceclimar, no Imbé. O espaço físico é bem menor que o do Museu Nacional do Mar, em São Francisco do Sul.

Cabeça de Baleia Orca no Museu Oceanográfico de Rio Grande
Cabeça de Baleia Orca no Museu Oceanográfico

O Museu Oceanográfico descreve a origem dos oceanos. Mostra porque vivemos no “planeta água”. E ilustra o relevo do oceano nas regiões sul, sudeste e central da Brasil. As ilhas são pontas de montanhas submersas!

A exposição segue com o acervo de ostras e conchas raras. Repare na Pia de Água Benta, um molusco bivalvo gigante, com 1,3 metros. A próxima sala traz a evolução das cianobactérias até os mamíferos marinhos.

Pia de Água Benta: o molusco bivalvo gigante, no Museu Oceanográfico de Rio Grande
Pia de Água Benta: o molusco bivalvo gigante.


Museu da Ilha da Pólvora
Atrás do Museu Oceanográfico, fica o Centro de Recuperação de Animais. Já o Museu da Ilha da Pólvora só funciona sexta, sábado e domingo. Como visitei o local em uma quarta-feira, não pude conhecer a ilha. 

Museu da Ilha da Pólvora, em Rio Grande
Museu da Ilha da Pólvora, em Rio Grande.

terça-feira, 28 de abril de 2015

Museu Oceanográfico de Rio Grande

O Museu Oceanográfico Eliezer de Carvalho Rios é parte de um complexo de museus que pertence à FURG. O complexo abrange ainda o Museu Antártico e o Ecomuseu da Ilha da Pólvora. O Oceanográfico é o mais completo da América Latina no gênero.

Museu Oceanográfico de Rio Grande
Museu Oceanográfico de Rio Grande

O Museu Oceanográfico reúne 39 mil amostras sobre a biodiversidade dos oceanos. O acervo expõe exemplares da fauna marinha e estuarina: peixes, aves, moluscos, crustáceos, equinodermas, esqueletos de mamíferos. Há ainda equipamentos usados em atividades marinhas.

Fundado em 1953, este talvez seja o mais interessante museu da região sul do Rio Grande do Sul. O Museu Oceanográfico de Rio Grande reúne a mais completa coleção de moluscos da América Latina, com 45 mil itens. Ainda há uma sessão descrevendo as ilhas brasileiras.

Atrás do Museu Oceanográfico, fica o Centro de Recuperação de Animais Marinhos. Este centro recebe os animais doentes, recupera-os e os libera na natureza. Ele dedica-se aos cuidados de lobos e leões marinhos, tartarugas, pinguins, petréis, albatrozes e outros animais.

Localização: Rua Capitão-Tenente Heitor Perdigão, 10, Rio Grande.
Funcionamento: 3ª a domingo das 9h às 11h30 e das 14h às 18h.

Veja também...
Museu Oceanográfico e Antártico de Rio Grande

Museu Antártico de Rio Grande

O Museu Antártico faz parte de um complexo de museus que pertence à FURG. Ele abrange ainda o Museu Oceanográfico e o Ecomuseu da Ilha da Pólvora. O Antártico é uma réplica da estação brasileira na Antártida.

Museu Antártico de Rio Grande
Museu Antártico de Rio Grande

A base brasileira na Antártida é chamada Estação Comandante Ferraz. Desde 1983, o Brasil realiza pesquisas no Continente Antártico.

O Museu Antártico reúne fotos, amostras de rocha e painéis explicativos contando a história da presença brasileira no Continente Antártico. Há amostras de animais e ainda a história do homem no Pólo Sul.

Localização: junto ao Museu Oceanográfico, Rua Capitão-Tenente Heitor Perdigão, 10, Rio Grande.
Funcionamento: 3ª a domingo das 9h às 11h30 e das 14h às 17h30.

Veja também...
Museu Oceanográfico e Antártico de Rio Grande

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Centro Histórico da Cidade de Rio Grande

Fundada em 1737, a cidade de Rio Grande é a mais antiga do Rio Grande do Sul. E talvez por isso, esperasse um pouco mais de seu Centro Histórico. O que encontrei foram prédios mal conservados. Alguns interditados...
Molhes de Rio Grande, no Museu do Porto
Molhes de Rio Grande, no Museu do Porto
  
Continuação de...
Molhes de Rio Grande e Praia do Cassino


Iniciei a caminhada passando em frente ao Centro Municipal de Cultura. Este belo prédio encontra-se fechado. E com cadeados nas portas. Segui para o Porto Velho, onde fiquei com uma melhor impressão.

Locomóvel no Museu do Porto de Rio Grande
Locomóvel no Museu do Porto.

Os antigos armazéns do cais de Rio Grande abrigam o Museu Náutico, o SEBRAE e o Museu do Porto. Visitei o último, que registra a história do porto de Rio Grande. O local reúne fotos, maquetes e maquinários.

Pintura do prédio da Biblioteca Riograndense
Pintura do prédio da Biblioteca Riograndense.

Poucos metros à frente, fica o antigo prédio da Alfândega. O prédio abriga o Museu Histórico da Cidade de Rio Grande. Quando passei por ali, o museu estava fechado, com previsão de abrir em alguns dias.

Luís de Camões, na Biblioteca de Rio Grande
Luís de Camões, na Biblioteca

O belo prédio da Biblioteca Riograndense merecia reparos. Seja na fachada, seja no interior. O mesmo pode ser dito do prédio do Antigo Quartel General de Rio Grande, localizado na esquina oposta.

Catedral de São Pedro, no centro de Rio Grande
Catedral de São Pedro, no centro de Rio Grande

Segui para a Praça Tamandaré. Nela, estão enterrados os restos mortais de Bento Gonçalves, um dos líderes da Revolução Farroupilha. Passei depois pela Catedral de São Pedro, cujos sinos badalavam às 16h.

O relato segue com...
Museu Oceanográfico e Antártico de Rio Grande 

domingo, 26 de abril de 2015

Catedral de São Pedro, Rio Grande

Construção de 1755, em estilo barroco colonial português. E é a mais antiga igreja entre Laguna e Montevidéu. A Catedral de São Pedro abriga os restos mortais de Dom Frederico Didonet, o primeiro bispo do Rio Grande do Sul. A Catedral foi tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Catedral de São Pedro, em Rio Grande
Catedral de São Pedro, em Rio Grande

Localização: Praça Dr. Pio, Rua General Bacelar, Rio Grande.
Funcionamento: 2ª feira, das 12h às 19h. De 3ª a domingo das 9h às 19h.


Veja também...

Monumento a Bento Gonçalves, Rio Grande

Imponente construção, de 1909, que abriga as cinzas do General Bento Gonçalves, o herói da Revolução Farroupilha. Este monumento fica na Praça Tamandaré, no Centro de Rio Grande. É a maior praça do interior do Estado.

Monumento a Bento Gonçalves, Rio Grande

Veja também...

sábado, 25 de abril de 2015

Antigo Quartel General de Rio Grande

Construção de 1894, em estilo neoclássico. Atualmente, abriga órgãos e secretarias municipais. O Prédio do Antigo Quartel General fica ao lado da Prefeitura Municipal. E foi totalmente restaurado em 1992.

Antigo Quartel General de Rio Grande
Antigo Quartel General de Rio Grande

Uma curiosidade é que o então cadete Dilermando de Assis refugiou-se no quartel de Rio Grande no início do século XX. Dilermando fugia do amor de Ana, a mulher do escritor Euclides da Cunha.

Localização: Largo Engenheiro João Fernandes Moreira. 

Veja também...
Centro Histórico de Rio de Grande

Biblioteca Riograndense, Rio Grande

Fundada em 1846, em estilo neoclássico, é a mais antiga do Estado. O acervo, com mais de 450 mil volumes e documentos, é o mais completo sobre a história do RS. Há também documentos sobre a Guerra do Paraguai.

Biblioteca Riograndense, em Rio Grande
Biblioteca Riograndense, em Rio Grande

Localização: Rua General Osório, 454, Centro de Rio Grande.
Funcionamento: 2ª a 6ª feira das 9h às 17h.

Veja também...
Centro Histórico de Rio de Grande

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Prédio da Alfândega de Rio Grande

Prédio-monumento, em estilo neoclássico. Ele foi construído entre 1875 e 1879 por ordem de Dom Pedro II, como homenagem ao povo gaúcho por sua destacada ação durante a Guerra do Paraguai. Atualmente, o Prédio da Alfândega abriga o Museu da Cidade do Rio Grande.

Prédio da Alfândega de Rio Grande

Localização: Rua Marechal Floriano, 300, Centro de Rio Grande.


Veja também...
Centro Histórico de Rio de Grande

Museu do Porto de Rio Grande

O Museu do DEPREC (Departamento Estadual de Portos, Rios e Canais) abriga os aparelhos e instrumentos topográficos usados na construção do Porto e dos Molhes da Barra. Há fotografias da época, mapas e documentos. E material náutico e ferroviário. O museu carece de material explicativo.

Timão exposto no Museu do Porto de Rio Grande
Timão exposto no Museu do Porto de Rio Grande

Localização: Rua Riachuelo, Armazém Um, do Porto Velho, Rio Grande.
Funcionamento: 2ª a 6ª feira das 9h às 17h30. Sábado das 9h às 12h30.

Veja também...
Centro Histórico de Rio de Grande

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Complexo Portuário de Rio Grande

Porto de maior calado do Mercosul e mais meridional do Brasil. Este é o único porto marítimo do Rio Grande do Sul. E é composto por quatro instalações principais: o Porto Velho, o Porto Novo, o Superporto e São José do Norte. Desde 1997, as suas operações foram privatizadas.

Porto Velho de Rio Grande
Porto Velho de Rio Grande

O Superporto do Rio Grande é uma construção de 1950 e 1980. Tem 3.020 metros e abriga terminais graneleiros, o Pier Petroleiro, os terminais do Pólo Petroquímico do Sul e de contêineres de carga geral. É um dos mais eficientes da América Latina.

O Porto Novo é uma construção de 1911 a 1916, com 1.952 metros, especializada em carga geral. O Porto Velho, de 1915, com 640 metros, é utilizado unicamente para a movimentação de pescado.

Localização: Margem oeste do Canal do Norte.

Veja também...
Centro Histórico de Rio de Grande

Centro Municipal da Cultura, Rio Grande

O Centro Municipal da Cultura Inah Emil Martensen foi criado em 1984. Este prédio de fachada eclética (não tão bem-cuidada) abriga o Arquivo Histórico, o Núcleo de Arqueologia e a Galeria Municipal de Arte. A última, com uma vasta coleção de pinturas.

Centro Municipal da Cultura, Rio Grande
Centro Municipal da Cultura, Rio Grande

Localização: Rua Marechal Floriano, 91, Centro de Rio Grande.
Funcionamento: 2ª a 6ª feira das 8h30 às 11h30 e das 13h às 18h.

Veja também...
Centro Histórico de Rio de Grande

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Passeio pelos Molhes de Rio Grande e pela Praia do Cassino após Atravessar Lagoa dos Patos de Balsa, em São José do Norte

Deixei Tavares rumo a São José do Norte, onde pegaria a balsa para Rio Grande. E ao chegar a Rio Grande, segui para os molhes. Depois, conheci a Praia Cassino, que sustenta a fama de ser a maior praia do mundo.

Vagoneta nos Molhes de Rio Grande
Vagoneta nos Molhes de Rio Grande

Deixei Tavares, às 7h30. A previsão era de que a balsa saísse às 10h de São José do Norte para Rio Grande. Como é recomendado chegar uma hora antes e o trecho de Tavares a São José leva 1h30, tudo daria certo.


Travessia de Balsa pela Lagoa dos Patos
Cheguei a São José do Norte às 8h48. E fiquei sabendo que a balsa partiria às 9h. A fila era pequena, mas os caminhões sobem primeiro. Consegui uma vaga e cheguei a Rio Grande às 10h. Uma hora antes do previsto.

Molhes da Barra de São José do Norte
Molhes da Barra de São José do Norte.
  
Uma curiosidade é que a travessia é feita na parte final da Lagoa dos Patos. O canal de Rio Grande já é formado pelo oceano. E o oceano acaba salgando parcialmente a água da Lagoa dos Patos. Na verdade, laguna.


Chegada a Rio Grande
Segui para o Mercado Público, onde fica o Centro de Informações. Ali, consegui dois mapas da cidade. E algumas dicas para facilitar minha ida até os molhes. E à Praia do Cassino, que inicia junto aos molhes.

Lagoa dos Patos e cidade de Rio Grande visto da balsa vinda de São José do Norte
Lagoa dos Patos e cidade de Rio Grande
visto da balsa vinda de São José do Norte.

Rio Grande lembrou-me, em diversos aspectos, Itajaí, cidade portuária catarinense. A sujeira e o fedor de peixe nas ruas próximas ao cais do porto. Muitos prédios mal conservados na região central da cidade.


Os Molhes de Rio Grande
Os molhes invadem 4 km de oceano. E você poderá percorrer os 4 km caminhando ou sentado sobre as vagonetas. Independente disso, você terá o canal, à esquerda e a Praia do Cassino, à direita.

Navio cruzando o canal entre os molhes de Rio Grande
Navio cruzando o canal entre os molhes.

O curioso é que, do outro lado do canal, estão os molhes de São José do Norte. Eles têm a mesma apresentação. E também possuem um pequeno farol na extremidade. A impressão é que eles invadem mais o oceano.


Praia do Cassino
Deixei os molhes e peguei a rodovia para chegar à área central da Praia do Cassino. Pode-se ir pela areia da praia, junto aos molhes. Porém prefiro circular o mínimo na areia salgada, pelos estragos que faz ao carro.

Imagem de Iemanjá na Praia do Cassino, em Rio Grande
Imagem de Iemanjá na Praia do Cassino.

O sol estava muito forte. Já havia me queimado bem, caminhando sobre os molhes. Comprei uma Fanta e elaborei um roteiro para percorrer no centro de Rio Grande. Só então fui à beira da praia, passando pela Iemanjá.

O relato segue com...
Centro Histórico de Rio Grande

terça-feira, 21 de abril de 2015

Praia do Cassino, Rio Grande

O Balneário do Cassino foi inaugurado em 1890 e chamava-se Vila Sequeira. Ele é o mais antigo do país e o mais importante da metade sul do Estado. Foi inspirado nos balneários europeus Dieppe Deauville e Biarrits.

Acesso ao Balneário do Cassino, Rio Grande
Acesso ao Balneário do Cassino, Rio Grande.

O nome Cassino é uma referência a uma grande sala de jogos ali instalada. Assim, o auge do Balneário Cassino foi durante a década de 1940, época em que funcionou o cassino. A proibição dos jogos esvaziou o balneário.

O Balneário do Cassino fica na Praia do Cassino. Atualmente, possui infra-estrutura completa com comércio, escolas e entretenimento. As maiores atrações são os Molhes da Barra e o Navio Altair.

Navio visto do Molhes da Barra de Rio Grande
Navio visto do Molhes da Barra de Rio Grande.

A Praia do Cassino, com 254 km de extensão, inicia-se em Santa Vitória do Palmar e termina no Balneário Cassino. É considerada a maior do mundo, com ondas fortes, areias brancas, dunas e faróis. 

A Praia do Cassino é propícia à pesca de vara e ao surfe.

Localização: 18 km do Centro de Rio Grande.

Veja também...

Molhes da Barra, Rio Grande

Esta é a maior obra de engenharia oceânica do litoral brasileiro (1915) e umas das maiores do mundo. Os Molhes da Barra têm dois braços de rocha que adentram 4 km no Oceano Atlântico. Esses molhes impedem que a ação do mar danifique o canal.

Molhes da Barra, Rio Grande
Molhes da Barra, Rio Grande

Os Molhes da Barra foram feitos para manter o canal de navegação que conduz ao porto aberto. Seu lado leste situa-se no município de São José do Norte e tem 4,2 km. O oeste, na Praia do Cassino, e tem 3,2 km.

Da Praia do Cassino, partem as vagonetas movidas à vela. Elas deslizam em trilhos e levam turistas e pescadores até a extremidade do Molhe Oeste. Os molhes servem, também, como refúgio para leões e lobos marinhos.

Vagoneta em trilho sobre os Molhes da Barra de Rio Grande
Vagoneta em trilho sobre os molhes.


Veja também...

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Rio Grande, Rio Grande do Sul

Rio Grande é a cidade mais antiga do RS. E está localizada na margem do estuário que conduz ao oceano as águas da Laguna dos Patos. Os primeiros navegadores ao chegarem ali, no século XVI, imaginaram que o imenso canal lacunar fosse um rio. Isso deu origem ao nome da cidade e do Estado.

Cidade de Rio Grande, no mapa do Rio Grande do Sul
Rio Grande, Rio Grande do Sul

A História de Rio Grande
A cidade de Rio Grande foi fundada, em 19/02/1737, pelo Brigadeiro José da Silva Paes. Ele comandava uma expedição militar portuguesa. Sua missão era assegurar aos lusitanos a posse das terras do sul. Ocorreram grandes batalhas nos territórios onde hoje ficam o RS e a Colônia de Sacramento.

A barra do Rio Grande de São Pedro era um ponto estratégico para a instalação de um reduto militar. Assim, foi escolhido por Silva Paes para a construção do Forte de Jesus, Maria e José. Em 1751, o povoado foi elevado à Vila de São Pedro do Rio Grande. E passou ao domínio espanhol, em 1763.

Praia do Cassino, em Rio Grande
Praia do Cassino, em Rio Grande

Em abril de 1776, os portugueses reconquistaram definitivamente a região. E a sua posição geográfica consolidou-se em tempos de paz. Rio Grande é o único porto marítimo do RS. Por ali, passavam todos os imigrantes e todo comércio internacional. Isso definiu a base da economia da cidade.

Veja também...
"A Fundação da Cidade de Rio Grande", no Palácio Piratini


Rio Grande, Uma Cidade Pioneira
Rio Grande foi a primeira capital do Estado. E teve a primeira Câmara de Vereadores (1761). A primeira Loja Maçônica (1840). A primeira Câmara de Comércio (1844). A primeira Biblioteca Pública (1846). E o primeiro farol do Rio Grande do Sul (Capão da Marca, 1849). 

Esporte Clube Rio Grande (1900) é o primeiro time de futebol do Brasil. E a doutora Rita Lobato Velho, a primeira médica formada no Brasil, era natural do município de Rio Grande.

Vagão Leito, no Museu do Porto, em Rio Grande
Vagão Leito, no Museu do Porto.

Rio Grande Hoje
Atualmente, Rio Grande atrai os visitantes pelos seus museus e seus prédios históricos. Os Molhes da Barra e o Balneário do Cassino também merecem destaque. Há também a proximidade da Estação Ecológica do Taim



Distâncias
Chuí = 244 km
Pelotas = 60 km
Porto Alegre = 323 km
Mapa de Rio Grande adaptado do site Wikipedia.

Veja também...
Centro Histórico de Rio Grande
Molhes de Rio Grande e Praia do Cassino
Museu Oceanográfico e Antártico de Rio Grande 

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design