terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Maria Isabel Hornos, A Guapa

Maria Isabel Hornos estudou nos melhores colégios de Montevidéu. E cursou artes cênicas. Lia muito e falava bem o português. Foi trazida a São Gabriel por um empresário, também do Uruguai.

Maria Isabel Hornos, A Guapa
Maria Isabel Hornos, A Guapa

Desejada pelos homens, logo instalou na cidade um cabaré. Tornou-se confidente e conselheira. Pouco andava pelas ruas. Quando o fazia, dava doces às crianças e dinheiro e remédios para os pobres.

A beleza, a juventude e a popularidade de Guapa despertaram a inveja nas mulheres dos fazendeiros de São Gabriel. E a inveja e o ciúme parecem ter os motivos que levaram à sua morte.


O Assassinato
Era sábado, 03/03/1924, noite de carnaval. Enquanto se maquiava, ela foi atingida, pelas costas, por dois tiros. Guapa caiu morta, vestindo uma fantasia de índia apache.

Foto da Guapa, a Santa Prostituta de São Gabriel
Guapa, A  Santa Prostituta

A mulher de um fazendeiro, amante de Guapa, encomendou a morte. Os disparos foram feitos por um cabo, do “Corpo de Provisórios”. Todos na cidade sabiam a identidade da mandante. Mas o caso foi “abafado”...


Santa Prostituta
A ideia era aproveitar a noite de carnaval, imaginando que o crime caísse no esquecimento. Ocorreu o oposto! Centenas de pessoas acompanharam o féretro. E Guapa passou a ser reverenciada...

Maria Isabel Hornos, a Guapa, é uma das três santas prostitutas do Rio Grande do Sul. As outras duas são Maria do Carmo, de São Borja, e Maria Degolada, de Porto Alegre. Todas foram mortas por militares.

Veja também...
Cemitério e Capela da Guapa, em São Gabriel

0 comentários:

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design