sábado, 30 de junho de 2012

Kid Abelha - Tudo é Permitido (1991)

O quinto álbum de estúdio da banda carioca Kid Abelha foi lançado dia 30 de junho de 1991, há exatamente 21 anos. "Tudo é Permitido" traz alguns dos maiores sucessos do Kid Abelha. Dentre eles, os três singles: "Grand Hotel", "Não Vou Ficar" e "Gosto de Ser Cruel".
Kid Abelha - Tudo é Permitido (1991)
Kid Abelha - Tudo é Permitido (1991)

As músicas mais executadas nas rádios foram "Grand Hotel" e "Não Vou Ficar". "Grand Hotel" é uma parceria de Paula Toller, George Israel e Lui Farias. "Não Vou Ficar", antigo sucesso de Tim Maia, fez parte da trilha sonora da novela adolescente Vamp, em 1991.


As outras músicas de destaque são "Gosto de Ser Cruel", parceria de Paula Toller e George Israel e "No Seu Lugar". "No Seu Lugar" não era exatamente uma novidade. Composta por Paula Toller, George Israel e Lui Farias fez parte de uma coletânea do Kid Abelha lançada em 1991.

Veja também...

Trilhas do Parque do Caracol - Corredeiras e Represa

Após encarar a escadaria até a base da Cascata do Caracol, procurei me informar a respeito das trilhas. Constatei que todas elas eram leves. Ainda bem, pois as roupas que eu vestia eram para andar de bicicleta e não para fazer trilha...

Detalhe da Água nas Corredeiras que Levam à Queda d' Água da Cascata do Caracol
Detalhe da Água nas Corredeiras que Levam
à Queda d' Água da Cascata do Caracol

Trilha do Arroio

A Trilha do Arroio, com 1.100 metros, é a mais extensa. Como o nome sugere, ela contorna o rio e cobre boa parte do Parque do Caracol. Comecei por ela, segui para as trilhas menores, quando as encontrava.

As Corredeiras do Parque do Caracol
As Corredeiras do Parque do Caracol

Uma bifurcação conduzia para a Trilha do Moinho e outra para a Trilha das Corredeiras. Na verdade as Ruínas do Moinho ficam bem próximas às corredeiras, talvez a uns 10 ou 15 metros.
Água Correndo para A Cascata do Caracol
Água Correndo para A Cascata do Caracol

Trilha das Corredeiras e das Ruínas

Segui primeiro para as corredeiras, a parte do rio próxima à queda d’água do Caracol. Ali há uma sucessão de pequenas quedas d’água. A maioria delas mais fotogênicas que a famosa cascata.

Corredeiras que Levam à Cascata do Caracol
Corredeiras que Levam à Cascata do Caracol

É claro: temos que considerar que no momento em que visitei o parque, estava sem chover a semanas, em Canela. Assim o volume da queda d’água do Caracol era muito pequeno. Bem diferente da majestosa cascata vista nas épocas de grandes chuvas...


Após tirar algumas fotos, cortei por dentro do mato até as Ruínas do Moinho. Elas ficam a poucos metros das corredeiras. E a visita só vale à pena por você já estar ali mesmo. As ruínas em si não têm nada demais...

Ruínas do Moinho, no Parque do Caracol
Ruínas do Moinho, no Parque do Caracol

Trilha do Silêncio e Museu

Segui a caminhada pela beira do rio, até chegar a uma espécie de represa. Ali, misturei o chá de limão Clight à água – boa parte do gelo já havia derretido! Bebi um pouco e segui a caminhada pela Trilha do Silêncio (150 metros).

Águas Calmas do Rio Próximas à Represa, no Parque do Caracol
Águas Calmas do Rio Próximas à Represa

Após a trilha, entrei rapidamente no museu. O local reúne diversos itens encontrados no rio. O que mais chama a atenção é um pneu de trator que retiraram lá de dentro. Há também um painel com o tempo de decomposição de vários destes itens.

Represa no Parque do Caracol, em Canela
Represa no Parque do Caracol, em Canela

Do museu, segui para a entrada do Parque do Caracol. Peguei a minha bicicleta e segui a minha pedalada! Agora a parada seria mais sinistra: teria de vencer os 7 km de estrada de terra até o Parque da Ferradura...

Fluxo de Água na Represa, Parque do Caracol
Fluxo de Água na Represa, Parque do Caracol

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Parque do Caracol, Canela

O Que É?
Parque que abriga o Caracol, o mais famoso cartão-postal natural do RS.

Onde Fica?
Na Estrada do Caracol (RS 466), a 7 km do centro de Canela.

Canela: Cascata do Caracol: Mais Famoso Cartão Postal Natural do RS
Cascata do Caracol: Mais Famoso 
Cartão Postal Natural do RS


Por Que Conhecer?
A área verde do Parque do Caracol tem como principal atrativo a Cascata do Caracol. A queda d’água, de 131 metros, fica entre a mata nativa e escorre sobre as rochas basálticas, características da região. A cascata pode ser observada dos mirantes ou de um elevador panorâmico. O Parque do Caracol também possui trilhas e um museu destinado à educação ambiental.

O Parque do Caracol alia beleza natura e boa infra-estrutura. E abriga uma infinidade de atrações. Sobretudo, para as crianças... Os passeios no trenzinho, por exemplo, são muito disputados entre os pequenos... Por fim, há as churrasqueiras, destinadas para quem pretende passar o dia curtindo as belezas naturais do Parque do Caracol!

Dica do Guasca
Se tiver disposição desça a escadaria de 927 degraus até a base da Cascata do Caracol. O desnível é de 131 metros. O equivalente a um prédio de 44 andares! É uma aventura um pouco cansativa, mas que vale à pena! Não só pela cascata em si, mas também pela oportunidade de andar em meio à mata, tendo contato com alguns animais silvestres...

Outra dica é com relação à Estrada do Caracol. Ela é bem conservada, mas com trânsito mais intenso no fim de semana. Cuide com as pessoas que caminham ou pedalam pelo acostamento!

Escadaria da Cascata do Caracol, Canela
Escadaria da Cascata do Caracol

Relato
Dia 03 de abril de 2012, deixei a casa de meus pais, em Canela, pouco após as 8h. Levei a bicicleta até o Colega Bike, uma “oficina” de bicicletas, localizada a cerca de 1 km de casa. O guidão havia entortado, quando andava em Porto Alegre, dias antes.  

A ideia era deixar a bicicleta lá e pegar à tarde. Durante a manhã, daria uma volta pelo centro de Canela ou iria, de carro para algum parque. Como me disseram que a bicicleta estaria pronta em 1h, mudei os planos...

Passei em casa, vesti a roupa para pedalar – calça, camiseta, luvas e capacete – e enchi uma garrafa com pedras de gelo. Peguei duas barras de cereal e um envelope de chá de limão Clith. Misturaria-o à água, quando o gelo tivesse derretido...

Placa com Distância Percorrida ao Longo da Escadaria da Cascata do Caracol, Canela
Placa com Distância Percorrida ao Longo 
da Escadaria da Cascata do Caracol

Fiquei surpreso com o custo do conserto da bicicleta! Além da troca do guidão, solicitei que fosse regulada a marcha e trocada a alavanca de subir e baixar o banco. Também comprei uma corrente com cadeado. Tudo isso e mais o serviço ficou por R$ 36,00! Acabei dando R$ 40,00 para o camarada. Em Porto Alegre, provavelmente, teria gasto mais de R$ 100,00...

Deixei o Colega Bike, por volta das 9h50. Pouco mais de 20 minutos depois, cheguei à recepção do Parque do Caracol. A entrada é livre para moradores de Canela. Assim, levei junto uma conta de luz dos meus pais e poupei o valor do ingresso...

Quati Subindo a Escadaria do Caracol, Canela
Quati Subindo a Escadaria do Caracol

Deixei a bicicleta e segui até o primeiro mirante. No caminho, verifiquei em um mapa quais as trilhas poderiam ser feitas. Tirei as fotos clássicas da Cascata do Caracol.

Ao lado desse primeiro mirante, há o famoso elevador. No elevador é necessário pagar ingresso. Como minha ideia era curtir a natureza gastando o mínimo de grana possível, segui em direção à Escadaria do Caracol...

Prevendo que a subida seria mais cansativa, desci sem paradas. Em 6 minutos, estava no mirante localizado na base da Cascata do Caracol. Ali, tirei fotos da cascata e pedi a uma senhora que tirasse uma foto minha.

Quati Junto à Escadaria do Caracol, Canela
Quati Junto à Escadaria do Caracol

Na subida, fui mais “na manha”, tirando várias fotos pelo caminho. Interessante ver os quatis, que ficam sobre as escadas, fugindo ao ver que a gente se aproxima. É o bom e velho instinto animal de luta ou fuga...

Levei 9 minutos para subir a escadaria. Cansado, é claro... Desci e subi em ritmo forte, mas sem correria. Afinal, pretendia fazer as trilhas do Parque do Caracol e tinha mais de 20 km para pedalar ao longo do dia...

Contabilidade
Conserto da bicicleta (Colega Bike) = R$ 40,00
Ver valor de ingresso e horários.

Canela, Rio Grande do Sul

Logo após a fundação, os cassinos de Canela atraiam turistas do Brasil e da América do Sul. Com a proibição dos jogos, por Eurico Gaspar Dutra, na década de 1950, a cidade viu o seu turismo desaparecer. 

Cidade de Canela, no mapa do Rio Grande do Sul
Canela, Rio Grande do Sul

Décadas depois, Canela buscou reinventar-se com o que tinha de mais original: sua localização privilegiada e as belas paisagens naturais.

Catedral de Pedra, em Canela
Catedral de Pedra, em Canela

Ruínas do Cassino Palace Hotel, em Canela
Ruínas do Cassino Palace Hotel

Canela oferece uma infinidade de cascatas, rios, cânions e montanhas, em meio às ricas fauna e flora locais. 

Cascata do Caracol, em Canela
Cascata do Caracol, em Canela

Usina Hidrelétrica dos Bugres, em Canela
Usina Hidrelétrica dos Bugres, em Canela

Tudo isso você poderá encontrar nos diversos parques que a cidade abriga. Ali você poderá explorar os recursos naturais que Canela dispõe.

O Belo Vale da Ferradura, em Canela
O Belo Vale da Ferradura, em Canela

O mais famoso é o Parque do Caracol, que recebe o nome de sua impressionante cascata, com 131 metros de altura. 

Cabana no Parque do SESI, em Canela
Cabana no Parque do SESI, em Canela

Noutro parque, um teleférico proporciona uma vista diferente do Caracol. Você poderá contemplar também um cânion, no Parque da Ferradura. Ou andar de trenó, no Alpen Park.

Corredeiras no Parque do Caracol, em Canela
Corredeiras no Parque do Caracol, em Canela

Quem vem de Gramado, entra em Canela pela Avenida Osvaldo Aranha, a mais importante da cidade. 

Cascata do Arroio Caçador, Parque da Ferradura, em Canela
Cascata do Arroio Caçador, Parque da Ferradura

Após a Praça João Correa, a avenida passa a se chamar Felisberto Soares. E esta conduzirá você a um dos maiores cartões-postais de Canela: sua belíssima Catedral de Pedra, localizada na Praça da Matriz. 

Castelinho do Caracol, em Canela
Castelinho do Caracol, em Canela

A Catedral de Pedra é o segundo ponto turístico mais fotografado no sul do Brasil...

Mapa de Canela adaptado de Wikipedia.


Cachoeira do Poço, Ecoparque Sperry, em Canela
Cachoeira do Poço, Ecoparque Sperry


Pontos de Interesse em Canela
Barragem dos Bugres
Casa de Pedra


Casa do Artesão - Antiga Estação Ferroviária, em Canela
Casa do Artesão - Antiga Estação Ferroviária


Cachoeira da Usina, Ecoparque Sperry, em Canela
Cachoeira da Usina, Ecoparque Sperry


quinta-feira, 28 de junho de 2012

Lago Negro, Gramado

O Que É?
Lago localizado próximo ao centro de Gramado.

Onde Fica?
Rua A. J. Renner

Pedalinho no Lago Negro, em Gramado
Pedalinho no Lago Negro, em Gramado



Por Que Conhecer?
Na década de 1940, um incêndio destruiu a mata que havia naquele local. Leopoldo Rosenfeldt, o proprietário das terras, decidiu criar um parque arborizado com um lago. Inspirou-se na Floresta Negra, da Alemanha. E as árvores foram realmente trazidas do famoso bosque alemão. 

As águas do Lago Negro são profundas e de um verde-escuro carregado, que refletem o alto dos pinheiros. Eles se alternam com o colorido das azaleias, no inverno, e o azul das hortênsias, no verão. Acompanhando a sua margem, há uma trilha florida e um local para caminhadas e passeios de bicicleta.

Dica do Guasca
Uma dica interessante é pedalar em torno do Lago Negro. A última vez que estive ali foi de bicicleta. E o local é bem legal para se exercitar. Se não tiver uma, ao menos dê uma caminhada em torno do lago. Isto também vale à pena. E para os casais românticos, a grande pedida é um passeio de pedalinho.

Trilha para Caminhada em Torno do Lago Negro, em Gramado
Trilha para Caminhada em Torno do Lago Negro

Relato
Como meus pais têm casa em Canela, volta e meia subo a serra e passo alguns dias por lá. Infelizmente, nos últimos anos, eu não tenho feito isso com a frequência que gostaria. De qualquer forma, quando consigo driblar alguns compromissos, é em Canela que encontro o meu refúgio.

Quando estou em Canela, minha atividade favorita é pedalar. E três roteiros são os meus preferidos. Primeiro eu ia de Canela para Gramado. É interessante, pois o trecho é asfaltado e você monitorar o tempo que leva para fazer o trajeto. Outro roteiro é descer até o Caracol. Depois passei a pedalar até a Ferradura. Mais recentemente, tenho ido até a Barragem do Salto.

Pato Observa a Água, na Margem do Lago Negro, em Gramado
Pato Observa a Água, na Margem do Lago Negro

A última vez que estive no Lago Negro foi dia 03/01/07, portanto, há mais de cinco anos. Aproveitei o dia belo e tranquilo, era uma quarta-feira, para pedalar em Gramado. Deixei Canela, pelas 11h, munido de uma garrafa de água e uma câmera digital. E, é claro, uma vontade de revisitar o Lago Negro, local que eu havia estado, pela última vez, quase 20 anos antes...
 
Acostumado à calmaria e à natureza de Canela, Gramado é uma cidade que não me agrada. Ali tudo parece artificial. A cidade que sedia um dos mais importantes festivais de cinema da América Latina parece falsa. Parece, ela própria, uma cidade cenográfica. E nas grandes festas e feriados, torna-se insuportável. Mas em um dia de semana qualquer, é até possível tolerá-la...

Hortênsias Junto ao Lago Negro, em Gramado
Hortênsias Junto ao Lago Negro, em Gramado

Assim, segui eu para a pedalada em torno do Lago Negro. Algo que só é possível nestes dias mais tranquilos, quando o local não é invadido por turistas e crianças correndo por todos os lados... Durante a semana, este é um lugar agradável para pedalar em meio à natureza. Natureza em termos. Como foi dito acima, a área do Lago Negro foi criada após um incêndio no local...

Mas em uma cidade em que até a natureza é artificial, também é possível passear entre árvores e bichos. Boa parte do caminho – ou seria trilha? – em torno do Lago Negro, é percorrido entre um corredor de hortênsias. Há também os pinheiros, os patos e as aves menores. Dentro do lago, naquela calma manhã, os pedalinhos flutuavam solitários...

Contabilidade
Sem custos.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Belvedere Vale do Quilombo, Gramado

O Que É?
Mirante para o Vale do Quilombo.

Onde Fica?
Avenida das Hortênsias, à direita de quem deixa Gramado em direção à Canela.

Belvedere Vale do Quilombo, em Gramado
Belvedere Vale do Quilombo, em Gramado


Por Que Conhecer?
É um dos poucos lugares de Gramado em que você conseguirá observar a paisagem natural do local onde a cidade se situa. No Belvedere do Vale do Quilombo há um pequeno acostamento para os carros estacionarem.

Dica do Guasca
O ideal é conhecer o local a pé ou de bicicleta, vindo do centro de Gramado, que fica a poucos metros dali. E para quem for mais aventureiro, a dica é descer a mata e explorar o Vale do Quilombo em meio à natureza. Ele faz divisa com Três Coroas, de um lado e Canela de outro. Por ali, você conhecerá belos morros, rios e cachoeiras...

Paisagem do Belvedere do Vale do Quilombo, em Gramado
Paisagem do Belvedere do Vale do Quilombo


Relato
O Belvedere do Vale do Quilombo é um lugar pelo qual sempre passo, ao fazer o trajeto de bicicleta entre Canela e Gramado. Na maioria das vezes, por estar correndo contra o relógio, passo batido pelo mirante. Nas raras vezes em que estou passeando e não me exercitando, paro ali para conferir a natureza.

O local chama a atenção por dois motivos. Em primeiro lugar, por dali ser possível contemplar a natureza dentro de Gramado. Como já registrei em outras postagens, a cidade é praticamente desprovida de recursos naturais e belas paisagens. E isso fica mais evidente quando comparamos Gramado com Canela e São Francisco de Paula.

Outra razão pela qual o Belvedere do Vale do Quilombo chama a atenção é pelo fato de não ser necessário pagar ingresso. Esta é uma das poucas atividades que se consegue fazer em Gramado de forma gratuita. As outras são conhecer o Lago Negro e o Lago Joaquina Rita Bier. Ou a Igreja São Pedro e a Igreja do Relógio. Gramado é uma cidade comercial e quase tudo ali é pago...

Contabilidade
Sem custos.

Museu do Chocolate Prawer, Gramado

O Que É?
Museu junto à fábrica dos chocolates Prawer.

Chocolates Prawer, Gramado

Onde Fica?
Avenida das Hortênsias, 4100.

Por Que Conhecer?
A visita vale por conhecer um pouco da história da produção do chocolate, desde os primórdios, na época dos maias. Ali também há um pouco da história da própria Prawer, fundada em 1975, e hoje uma das marcas de chocolate mais famosa da serra gaúcho. No museu é curioso observar a evolução do maquinário ao longo da história...

Dica do Guasca
Se não estiver com muita pressa, é interessante pesquisar outras marcas de chocolate. Há chocolates tão bons ou melhores que os da Prawer e por preço mais camarada. Em Canela, por exemplo, você encontrará a loja de Chocolates Caracol, também excelentes. É só pesquisar, pois alternativas não faltam...

Relato
O Museu do Chocolate Prawer foi o último local que visitei em Gramado antes de retornar para Canela. E de certo ponto a visita foi uma decepção. Por dois motivos! Primeiro, por eu ter entendido que seria possível visitar a fábrica de chocolates. Na verdade, só vemos fotos do processo de fabricação no museu. O segundo motivo é que a degustação consiste apenas em um envelope de chocolate. Na maioria das lojas de chocolate, consegue-se uma degustação mais generosa.

Contabilidade
Entrada franca. 

terça-feira, 26 de junho de 2012

Igreja do Relógio, Gramado

O Que É?
Igreja Evangélica de Confissão Luterana de Gramado.

Onde Fica?
Avenida das Hortênsias, 1350.

Igreja do Relógio: Igreja Luterana de Gramado
Igreja do Relógio: Igreja Luterana de Gramado

Por Que Conhecer?
A Igreja Apóstolo Paulo foi erguida em 1953, exatamente 10 anos após a Igreja São Pedro, o templo católico localizado no centro de Gramado. As duas principais atrações da igreja evangélica são o sino e o relógio. Seu sino foi fundido em 1826, na Alemanha. E os relógios, datados de 1964, podem ser vistos no topo da torre em suas quatro faces.

Dica do Guasca
A Igreja do Relógio fica no alto de um pequeno morro. Dali você poderá tirar do centro de Gramado, de locais como a Praça Major Nicoletti e a Igreja São Pedro. Além, é claro, de tirar fotos da fachada da própria Igreja do Relógio.

Gramado é mais procurada no inverno, pelo frio e pelo Festival de Cinema. Além da eterna esperança dos turistas que procuram a cidade esperando ver neve. Mas se você for, no verão, não deixe de reparar nas belas hortênsias, em torno da Igreja do Relógio.

Igreja do Relógio, em Gramado
Igreja do Relógio, em Gramado

Relato
A Igreja do Relógio foi o último ponto turístico que visitei no centro de Gramado. Ao chegar lá, ela estava fechada. Percebi que ela só abre aos domingos, às 9h30, que é o horário do culto. No 4º domingo do mês, há um culto também às 19h.

Com a igreja fechada, resignei-me a tirar fotos de sua fachada. Aproveitei também a sua localização, no alto de um morro, para tirar fotos do centro da cidade. Segui, então, para o Museu do Chocolate Prawer.

Contabilidade
Sem custos.

Mini Mundo, Gramado

O Que É?
O Mini Mundo é um parque ao ar livre, formado por réplicas fieis de prédios de várias partes do mundo.

Onde Fica?
Rua Horácio Cardoso, 291, Gramado. O Mini Mundo pode ser visitado, diariamente, das 10h às 17h.

Mini Mundo, em Gramado
Mini Mundo, em Gramado


Por Que Conhecer?
No Mini Mundo o mundo tem 1.817 minipessoas, 1.467 miniárvores e 145 miniprédios. Você poderá ver réplicas do centro de Porto Alegre; do Castelo Neuschwanstein, na Alemanha; dos Alpes Suíços; da Igreja São Francisco de Assis, em Ouro Preto.

Na pequena cidade, a população vive uma rotina intensa. Casamentos, festas, obras, viagens aéreas e de trem fazem parte do cotidiano. É uma atração turística que mexe com o imaginário de crianças e adultos!

Castelos, ferrovias, moinhos, praças, igrejas, estaleiros, teleféricos, lagos, cascatas e casas típicas fazem parte do mundo criativo e imaginário, criado pela família Höppner, em 1981.

Dica do Guasca
A riqueza de detalhes das maquetes e miniaturas do Mini Mundo é impressionante. Elas são baseadas nos projetos originais dos prédios ali reproduzidos. Juntas, elas constituem uma cidade em miniatura, onde tudo é 24 vezes menor que na realidade.

Bilheteria do Mini Mundo, em Gramado
Bilheteria do Mini Mundo, em Gramado

Relato
Conhecer o Mini Mundo é praticamente uma obrigação para quem vem a Gramado acompanhado de crianças. O lugar é fabuloso! Dali, crianças – e muitos adultos – saem encantadas. Conheci o Mini Mundo quando tinha uns 10 anos de idade... Depois disso, eu nunca mais tive curiosidade de voltar! Talvez por medo de quebrar o encanto daquela primeira visita... Vá saber...

Dia 02/04/12, quando fiz um giro por Gramado, passei por diversos locais. Minha ideia era conhecer o Museu do Piano e revisitar o Mini Mundo. Os dois ficam na mesma rua, quase um em frente ao outro. O Museu do Piano estava fechado há mais de um ano. E ainda constava no mapa fornecido pelo Centro de Informações Turísticas...

Já cansado, após um dia de caminhadas, cheguei ao Mini Mundo, logo em frente. Tomei um susto ao me deparar com os quatro ônibus da CVC estacionados no local. Ao verificar o valor do ingresso, um novo susto! O ingresso custava R$ 16,00. Ao menos para quem tem mais de 1,20 metros, categoria em que me enquadro...

Contabilidade
R$ 16,00. Visitantes acima de 60 anos, mediante a apresentação de documento com foto, e crianças com até 1,20 metros pagam apenas R$ 8,00.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Rótula das Bandeiras, Gramado

O Que É?
Rótula para retornar ao centro de Gramado ou seguir em direção a Três Coroas.

Onde Fica?
Avenida Borges de Medeiros, próxima à rodoviária.

Kikito e Rótula das Bandeiras, em Gramado


Por Que Conhecer?
A rótula possui um jardim, circundado pelas bandeiras dos estados brasileiros. Em frente a ela, na direção da saída de Gramado, você verá um grande monumento do Kikito. Este simpático personagem é uma espécie de Oscar brasileiro. E sua estatueta é dada aos grandes premiados do Festival de Cinema de Gramado.

Dica do Guasca
Tire uma foto ao lado do Kikito, tendo a Rótula das Bandeiras ao fundo. É uma foto meio óbvia, eu sei. Mas nem sempre o Palácio dos Festivais está aberto para que você tire uma foto com o Kikito “oficial”...

Jardim e Rótula das Bandeiras, em Gramado

Relato
Apesar da Rótula das Bandeiras constar entre os pontos turísticos da cidade, ninguém vai a Gramado com o objetivo de conhecê-la. Na verdade, ela fica no caminho para quem sai o chega a Gramado por Três Coroas. Ou para quem procura o Lago Joaquina Rita Bier ou o Mini Mundo

A rótula também fica bem próxima à rodoviária. Assim, venha você de carro, bicicleta ou a pé, não custa nada dar uma parada por ali e aproveitar para tirar algumas fotos.


Contabilidade

Sem custos.

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design