domingo, 31 de julho de 2011

Domingos Martins, Espírito Santo

A primeira leva de alemães chegou à capital do Espírito Santo no dia 21 de dezembro de 1846. Permaneceram alguns dias em Vitória. E seguiram para a colônia de Santa Isabel, a primeira fundada em solo capixaba. 

Cidade de Domingos Martins, no mapa do Espírito Santo
Domingos Martins, Espírito Santo

Em 20 de dezembro de 1921, o nome da cidade foi mudado, em homenagem ao heroi capixaba Domingos José Martins.

Os cafés coloniais servem pratos típicos da culinária alemã e italiana. O agroturismo é uma excelente forma de conhecer o dia-a-dia da zona rural. O município destaca-se ainda pela beleza de suas orquídeas.


Atrações
Museu Histórico e Casa de Cultura – documenta a colonização alemã e a italiana. Possui fotos, documentos e objetos ligados a Domingos José Martins. E cartas e lembranças da visita do Imperador Dom Pedro II, em 1860. 

Orquidário Kautsky Pico Eldorado - esta Reserva Florestal reúne 1.300 espécies de orquídeas e bromélias. Pertence à família do renomado botânico Roberto Anselmo Kautsky, que descobriu 150 espécies de orquídeas.  

Mapa de Domingos Martins adaptado do Wikipedia.


Ver também

Praça Pio XII - Vitória

Possui uma estátua do Papa Pio XII (1876-1958), cujo pontificado foi de 1939 a 1958. O local proporciona uma bela vista da Baía de Vitória.

Praça Pio XII, em Vitória
Praça Pio XII, em Vitória

Endereço: Avenida Princesa Isabel, Centro de Vitória.


Veja também
Centro Histórico de Vitória II
Centro Histórico de Vitória

Praça Oito de Setembro - Vitória

Antes do aterro, havia naquele local o Cais Grande de Vitória. E depois o Cais da Alfândega. No início do século XX, era o ponto nobre da cidade.
Relógio da Praça Oito de Setembro, em Vitória
Relógio da Praça Oito de
Setembro, em Vitória

A Praça Oito de Setembro abriga um relógio montado pelo alemão João Ricardo Hermann Schorling. Ele emitia, a cada hora, as sete primeiras notas do hino do Espírito Santo.

Endereço: Avenida Jerônimo Monteiro, Centro de Vitória. 

Veja também
Centro Histórico de Vitória II
Centro Histórico de Vitória

sábado, 30 de julho de 2011

Praça Costa Pereira - Vitória

Este local era conhecido como Prainha e abrigava a Igreja Nossa Senhora de Conceição da Prainha, demolida no fim do século XIX. Naqueles tempos, mais de dois terços da área eram banhados pelo mar...

Numa época em que os bondes ainda circulavam pela Praça Costa Correia, essa era a principal área de lazer da alta sociedade residente no centro da cidade de Vitória.

Endereço: Avenida Jerônimo Monteiro, Centro de Vitória. 

Veja também
Centro Histórico de Vitória II
Centro Histórico de Vitória

Parque Municipal Gruta da Onça - Vitória

Fica localizado nas antigas terras do Barão de Monjardim, destinadas ao cultivo de café. Ideal para trilhas entre nascentes e pequenos riachos. Na entrada, uma onça “protege” uma das nascentes. Uma placa ali diz: 

“Lenda da Gruta da Onça. O Parque Municipal Gruta da Onça, localizado no Maciço Central (Morro do Vigia), da Ilha de Vitória, teve seu nome retirado de uma lenda... 

Parque Municipal Gruta da Onça - Vitória
Parque Municipal Gruta da Onça
Conta a lenda que, em meio à floresta, existia uma grande gruta de onde brotava uma fonte de águas límpidas... 

Mas certo dia, um índio tentou se abrigar na gruta e ao beber a água do fonte, viu refletir, ao espelho d’água, a imagem de uma enorme onça, pronta para lhe atacar...

Apavorado, o índio fugiu correndo em direção ao mar, que beijava as praias junto ao Morro do Penedo... 

Desde então, a onça passou a ser a guardiã da gruta, continuando a viver em seu interior. Para perpetuar esta lenda capixaba, seus personagens foram transformados em monumentos, estando a onça localizada no alto das pedras que formam a gruta, e o índio, na Avenida Beira Mar, próximo ao Morro do Penedo.” 

Endereço: Rua Barão de Monjardim, Centro de Vitória.
Funcionamento: diariamente, das 8h até as 17h. 
Visitas Monitoradas: terças e domingos, mediante agendamento. 

Igreja do Rosário - Vitória

Iniciada em 1765, foi erguida em dois anos pela Irmandade Nossa Senhora do Rosário dos Pretos. Sua entrada principal é acessada por extensa escadaria. Possui um ossário e um cemitério. A Igreja mantém as características originais da fachada colonial e de seu frontão barroco, característicos da arte religiosa do século XVIII. 

Igreja do Rosário, Vitória
Igreja do Rosário, Vitória
Assim como os irmãos do Convento de São Francisco, os escravos eram devotos de São Benedito, negro e humilde. Como só havia uma imagem do santo em Vitória, o ano passou a ser dividido. Do dia 1º de janeiro até a procissão de Corpus Christi, ele ficava no Convento. No dia seguinte, passava para os irmãos do Rosário. O ponto alto das festas do Rosário era a procissão de 27 de dezembro. 

No entanto, em 1832, o guardião do Convento impediu que a imagem de São Benedito saísse em direção ao Rosário. Em 1833, então, o santo foi roubado e levado para a Igreja do Rosário...

Sem esperança de reavê-lo, os devotos do Convento, formados pela elite capixaba, encomendaram outra imagem de São Benedito e recomeçaram os festejos, agora bem pomposos...

Ofendidos com as exibições de riqueza, os irmãos do Rosário apelidaram-nos de “caramurus”, partido político com fama de arrogante e brigão. Os irmãos do Convento entenderam que o apelido era uma referência ao caramuru, um peixe traiçoeiro e verde, mesma cor de suas roupas...

Apelidaram, assim, os irmãos rosarienses de peroás, peixe desprezado pelos pescadores e com listras azuis, cor de suas roupas. Com o passar do tempo, a irmandade do Convento foi extinta. 

Endereço: Rua do Rosário, Cidade Alta, Vitória.
Visitas Monitoradas: de terça a domingo, das 9h até as 17h.

Veja também
Centro Histórico de Vitória I
Centro Histórico de Vitória
 

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Igreja de São Gonçalo - Vitória

O local abrigou a capela construída pela Irmandade Nossa Senhora do Amparo e da Boa Morte. Mas em 1715, a irmandade solicitou a construção de uma nova igreja, consagrada a São Gonçalo Garcia, em 02/11/1766. 

Igreja de São Gonçalo, Vitória
Igreja de São Gonçalo, Vitória

Sua fachada e altar-mor, com entalhes em madeira pintados a ouro, possuem características da arquitetura barroca. 

Diante da desapropriação da Igreja de São Thiago, entre 1908 e 1912, e da demolição da antiga Igreja Matriz, a Igreja de São Gonçalo serviu de sede paroquial e exerceu as funções de Catedral por quase 20 anos. 

A Igreja de São Gonçalo, a preferida das noivas de Vitória, é, segundo reza a crença popular, “a igreja dos enlaces duradouros e felizes”.

Endereço: Rua São Gonçalo, Centro de Vitória.
Visitas Monitoradas: de terça a domingo, das 9h até as 17h.

Igreja e Convento do Carmo - Vitória

Quando os carmelitas chegaram, em 1675, duas ordens religiosas já haviam se instalado em Vitória. Os jesuítas chegaram em 1551. Eles construíram o Colégio e a Igreja de São Thiago, onde hoje fica o Palácio Anchieta. Já os franciscanos chegaram em 1589 e ergueram o Convento de São Francisco

Igreja e Convento do Carmo, Vitória
Igreja e Convento do Carmo, Vitória
O Convento do Carmo foi fundado em 1682, por padres carmelitas procedentes da parte norte do Brasil Colônia. O conjunto era formado pelo Convento, pela Igreja de Nossa Sa do Monte do Carmo e pela Capela da Ordem Terceira. Todos em estilo colonial, com linhas barrocas.

Em 1910, o Convento passou por reformas e ganhou mais um andar. Em 1913, a igreja recebeu roupagem eclética, com influências góticas. E a Capela foi destruída em 1930. As obras foram de responsabilidade de André Carloni. 

O Colégio Nossa Senhora Auxiliadora foi inaugurado em março de 1900, sendo dirigido pelas irmãs vicentinas. Ele funcionou até o final da década de 1960, prestando serviços na instrução e educação feminina do Estado do Espírito Santo

Endereço: Ruas Coronel Monjardim e Coutinho Mascarenhas, Centro.
Visitas Monitoradas: de terça a domingo, das 9h até as 17h.

Convento de São Francisco, Vitória

O Convento de São Francisco foi construído no final do século XVI, a pedido de Vasco Fernandes Coutinho Filho, o segundo donatário da Capitania do Espírito Santo

Convento de São Francisco, Vitória
Convento de São Francisco, Vitória
A escolha do local, junto às matas, foi motivada pela qualidade da água ali encontrada. Dessa forma, o Convento foi o pioneiro no abastecimento de água a domicílio em Vitória. Isto foi possível com a construção de um aqueduto, entre 1639 e 1643. A água passava por uma tubulação, que ligava o aqueduto a um chafariz. 

Além da igreja, dedicada a São Francisco de Assis, o Convento era formado pelo monastério e pela Capela da Ordem Terceira da Penitência. Ao conjunto, foi acrescido um Cemitério Municipal, que funcionou de 1856 a 1908. 

O frontispício é a única parte original do primeiro Convento Franciscano do sul do Brasil Colônia. 

Com o declínio da prática religiosa, o local serviu como escola fundamental e enfermaria, para atender às vitimas das constantes epidemias que assolavam a cidade na metade do século XIX. No século seguinte, abrigou o Orfanato Cristo Rei. Hoje serve à Cúria Metropolitana.

Endereço: Rua Abílio dos Santos, 47, Centro de Vitória.
Visita Monitorada: de terça a domingo das 9h até as 17h.

Catedral Metropolitana de Vitória

Edificada onde ficava a antiga Igreja Matriz Nossa Senhora da Vitória, levou cerca de 50 anos para ficar pronta. 

Catedral Metropolitana de Vitória
Catedral Metropolitana de Vitória
A Catedral de Vitória foi construída em estilo neogótico, inspirada na catedral de Colônia, na Alemanha. A estrutura de concreto armado foi construída por André Carloni. 

A Catedral abriga belos vitrais, doados por importantes famílias de Vitória e feitos pelo artista italiano César Alexandre Formenti. 

A construção possui planta em cruz latina e nave ampla. Em seu subsolo, encontra-se uma cripta, onde estão os restos mortais de três bispos.

Endereço: Fica na Praça Dom Luiz Scortegagna, no Centro de Vitória.

Visitas Monitoradas: de terça a domingo, das 9h até as 17h.

Veja também
Centro Histórico de Vitória II 

Centro Histórico de Vitória

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Capela de Santa Luzia - Vitória

Construção religiosa mais antiga de Vitória e marco do início da colonização capixaba. Há registros de que, em 1549, já estava em funcionamento. 

Capela de Santa Luzia - Vitória
Capela Santa Luzia, Vitória
Erguida sobre uma rocha, a Capela Santa Luzia possui traços coloniais e arquitetura bem simples. 

A capela pertencia à fazenda de Duarte Lemos, na sesmaria doada por Vasco Fernandes Coutinho, o primeiro donatário da Capitania do Espírito Santo. 

Sua construção assemelha-se a das outras igrejas do Espírito Santo: nave retangular mais longa e alta que a capela-mor. 

Tem como peculiaridade uma única porta de acesso, na parede lateral da nave (veja a foto ao lado). 

Endereço: Rua José Marcelino, s/no.
Visitas Monitoradas: de terça a domingo, das 9h até as 17h. 

Veja também
Centro Histórico de Vitória III 

Centro Histórico de Vitória 

Capela das Neves - Vitória

Localizada junto ao Convento de São Francisco, a Capela Nossa Senhora das Neves foi construída, possivelmente, na primeira metade do século XIX. Ali funcionava o necrotério de Vitória

Capela das Neves - Vitória
Capela das Neves, Vitória

Com planta em formato de cruz grega, é formada por uma nave, artar-mor e dois cômodos fechados: sacristia e santíssimo.

Endereço: Rua Abílio dos Santos, 47, Centro de Vitória.
Visita Monitorada: de terça a domingo das 9h até as 17h.

Veja também
Centro Histórico de Vitória II 

Centro Histórico de Vitória

MAES - Museu de Arte do Espírito Santo

Construído entre 1924 e 1925, tem estilo eclético. É o primeiro de uma série de prédios públicos construídos por Florentino Avidos, em Vitória. Sua idéia era dotar o Estado do Espírito Santo de infraestrutura e apresentar uma nova arquitetura à cidade. No passado, o edifício abrigou as oficinas da Imprensa Oficial e, depois, a sede da Secretaria Estadual de Administração. 
Museu de Arte do Espírito Santo (MAES)
Museu de Arte do Espírito Santo (MAES)

Endereço: Avenida Jerônimo Monteiro, 631, Centro de Vitória. 
Horários: de terça a sexta, das 10h até as 18h. Sábado e domingo, das 12h até as 18h.

Veja também
Centro Histórico de Vitória II
Centro Histórico de Vitória

FAFI - Escola de Teatro e Dança - Vitória

Segundo prédio projetado pelo arquiteto tcheco Josef Pitilikm em Vitória. Foi inaugurada em 1927, como Grupo Escolar Gomes Cardim. De 1957 a 1972, funcionou como Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FAFI).

A Antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FAFI), Vitória
A Antiga Faculdade de Filosofia,
Ciências e Letras (
FAFI), Vitória

Além das atividades educacionais, a FAFI era famosa por seus bailes e pelas inflamadas discussões políticas. Durante o governo militar, parte do prédio foi usada para o depósito de livros subversivos apreendidos na universidade.

Em 1992, começou a funcionar como Escola de Artes. Ela oferece cursos de teatro e de dança e mantém programação cultural ativa.

Endereço: Avenida Jerônimo Monteiro, 656, Centro de Vitória.
Horários: segunda a sexta, das 8h até as 22h. Sábado, das 8h até as 18h.


quarta-feira, 27 de julho de 2011

Theatro Carlos Comes - Vitória

Em 1923, o Theatro Melpômene, único de Vitória, sofreu princípio de incêndio. Foi destruído para abertura da Rua 7 de Setembro e para o alargamento da atual Praça Costa Pereira

Theatro Carlos Gomes, Vitória
Theatro Carlos Gomes, Vitória

Pouco tempo depois, surgiu o projeto para construção do Theatro Carlos GomesO arquiteto André Carloni usou o Teatro alla Scala, de Milão, como inspiração. Assim, há o predomínio do estilo neo-renascentista italiano. 

O Carlos Gomes usou as colunas de ferro do Melpômene. Foi inaugurado em 05/01/27. No teto da plateia, o mineiro Homero Massena pintou Carlos Gomes com Bach, Wagner e Verdi, compositores que o inspiraram. 

Na fachada, há esculturas com elementos simbólicos, como Apolo, o protetor das artes. Outras quatro representam as seguintes artes, da esquerda para a direita: escultura, música, pintura e letras (ver foto acima).

Endereço: Praça Costa Pereira, Centro de Vitória.
Visitas Monitoradas: de terça a domingo, das 9h até as 17h.

Palácio Anchieta - Vitória

É considerada a edificação mais antiga de ocupação governamental do país. Constitui-se o símbolo da fundação da cidade de Vitória. Sua localização é privilegiada, de frente para a Baía de Vitória.

Palácio Anchieta - Vitória
Palácio Anchieta
Iniciado, em 1551, pelo padre Afonso Brás, a partir de uma modesta tapera. Foi inaugurada em julho daquele ano a construção primitiva da Igreja de São Thiago. E abrigou o Colégio de São Tiago, até 1760. 

Dentro do Palácio está o corpo do padre José de Anchieta. 

No século XVIII, por uma ordem do rei de Portugal, os jesuítas foram expulsos. E seus bens, incorporados à Coroa. Desde então, o prédio é usado como sede do Governo do Estado do Espírito Santo. 

Endereço: Rua Pedro Palácios, Cidade Alta, Centro.
Visitas Monitoradas: de quarta a sábado, das 10h até as 18h. Domingo, das 10h até as 15h, mediante agendamento.

Ruas e Avenidas do Centro de Vitória

Avenida Jerônimo Monteiro – formada pela abertura da Avenida Capixaba e de sua ligação com a antiga Rua da Alfândega. É a principal via do centro de Vitória. E apresenta um grande fluxo diário de pedestres e veículos. Surgiu em conseqüência do processo de modernização da capital do Espírito Santo.

Ruas e Avenidas do Centro de Vitória
Ruas e Avenidas do Centro de Vitória


Rua Coronel Monjardim – antiga Rua da Capelinha, um caminho estreito e tortuoso por onde passavam os frades do Convento do Carmo e do Convento São Francisco. Era um local de emboscadas.

Rua Duque de Caxias – antiga Rua da Praia. Era a rua mais movimentada de Vitória até 1912, ano em que a Avenida Jerônimo Monteiro passou a ganhar a preferência dos comerciantes.

Rua Erotildes Rosendo – conhecida como Ladeira da Pedra, pelo piso de pedra bruta. As suas casas geminadas possuem características ornamentais da primeira metade do século XX.  

Rua Sete de Setembro – antiga Rua da Várzea. Ia da Prainha – atual Praça Costa Pereira – até a Rua da Capelinha – atual Coronel Monjardim. No século XVIII, ela abrigava grande um número de residências. As chuvas costumavam provocar inundações na região.

Espaços Culturais de Vitória

Armazém 5 (Porto Urbano de Vitória) – inicialmente, era adequado para a recepção de cruzeiros marítimos, funciona também como espaço cultural.
Endereço: Avenida Getúlio Vargas, Centro. 

Centro Cultural Majestic, Vitória
Centro Cultural Majestic, Vitória

Centro Cultural Majestic - este prédio foi projetado pelo arquiteto tcheco Josef Pitilik e inaugurado em 1926, como Hotel Majestic. Funcionou até 1966 e foi o primeiro hotel com elevador da cidade de Vitória. Durante o governo militar, sediou o Teatro de Arena do Grupo Geração, o qual fazia resistência cultural contra o regime. 
Endereço: Rua Dionísio Rosendo, 99, Centro. 

Centro Cultural SESC Glória – projetado pelo arquiteto alemão Ricardo Wright, foi edificado em concreto armado. Primeira construção com cinco andares da cidade.
Endereço: Avenida Jerônimo Monteiro, 428, Centro.

Veja também

terça-feira, 26 de julho de 2011

Escadarias do Centro de Vitória

Escadaria Bárbara Lindenberg – construída em 1883, no local da antiga Ladeira Padre Inácio, a qual dava acesso à Cidade Alta. 

Escadaria Bárbara Lindenberg, em Vitória
Escadaria Bárbara Lindenberg
A escadaria era iluminada por quatro lampiões a gás. Foi refeita durante o governo de Jerônimo Monteiro. 

Hoje possui uma fonte artificial, além de quatro estátuas de mármore, as quais representam as quatro estações do ano (veja a foto ao lado).

E o seu nome é uma homenagem à Bárbara Lindenberg, irmã de Jerônimo Monteiro, ex-governador do Espírito Santo. É comumente chamada de Escadaria do Palácio, por ficar em frente ao Palácio Anchieta.

Escadaria Dionísio Rosendo – ligada à Rua Dionísio Rosendo. Era chamada de Rua das Flores, no início do século XX. Pois por ela passavam as três moças mais belas de Vitória, as “flores da ilha”. Na esquina da rua com a escadaria, ficava o sobrado da família Cerqueira Lima.

Escadaria Maria Ortiz – em 14 de março de 1625, o almirante holandês Piet Heyn ultrapassou a barreira do Forte São João. Adentrou pela baía e atracou onde hoje se localiza a Praça Oito de Setembro. A sua missão era conquistar e saquear a vila, em nome do governo holandês. Para surpresa dos invasores, Maria Ortiz impôs resistência junto aos bravos capixabas. Piet Heyn e seus comandados não conseguiram adentrar a Cidade Alta e, assim, desistiram do saque. Segundo contam, ela insuflou a população local a jogar água fervente nos invasores, pelas janelas de suas casas. 

Escadaria São Diogo – construída ao lado do antigo Forte de São Diogo, tinha uma posição estratégica, por permitir um rápido acesso à Cidade Alta. Com a falta de espaço para expansão da capital, houve a necessidade de aterrar parte do canal. Assim, o antigo forte foi derrubado, no século XIX. A nova escadaria foi inaugurada em 1942, em estilo eclético.

Construções Históricas de Vitória

Antiga Residência da Família Cerqueira Lima – localizada na Rua Muniz Freire, antiga Rua da Assembleia, possui fachada ricamente trabalhada.

Antiga Residência de Muniz Freire – duas vezes presidente do Estado do Espírito Santo, José de Melo Carvalho Moniz Freire preparou Vitória para ser uma capital moderna. No local de sua casa funcionou, também, a Escola Municipal São Vicente de Paulo.  

Antigo Ateneu Provincial - educandário do século XIX. Neste local estudou Nilo Peçanha, que viria a se tornar presidente do Brasil. Atualmente, o Antigo Ateneu Provincial abriga o Colégio Maria Ortiz (veja foto abaixo).

Antigo Ateneu Provincial de Vitória
Antigo Ateneu Provincial de Vitória
Casario Colonial - na Rua José Marcelino ficam as duas únicas casas do período colonial que resistiram à época de modernizações da capital do Espírito Santo

Estas duas casas são geminadas e possuem planta retangular, com telhados de telhas canal em duas águas e um beiral em beira-seveira, apoiado por cimalha. 


Forte São João – construído no século XVII na entrada da Baía de Vitória. Foi aperfeiçoado e transformou-se em fortaleza, em 1726, por determinação do Conde de Sabugosa. Manteve as atividades até 1888. O Forte de São João é a única construção com características de fortificação ainda existente em Vitória. A ilha possuía outros quatro fortes para a defesa de invasores.
Endereço: Avenida Vitória, 320.

Loja Maçônica União e Progresso – a primeira do Estado. Em 1872, estava instalada na Rua Duque de Caxias. Já na Muniz Freire, foi palco de inflamados discursos em defesa da abolição da escravatura.

Mercado Capixaba – projetado por Joseph Pitilick, possui formas ecléticas e neoclássicas. Foi construído para substituir o antigo mercado municipal. Ele oferece artesanatos em argila, palha, bambu.
Endereço: Avenida Princesa Isabel, 251, Centro.
Funcionamento: segunda a sexta, das 08:30 às 18:30. Sábado e domingo, das 08:30 às 14h.

Viaduto Caramuru – construído em 1925, ele homenageou os Caramurus, membros da Irmandade de São Benedito do Convento de São Francisco. O objetivo era ligar as Ruas Dom Fernando e Francisco Araújo, bem como servir de passagem para o bonde. Porém, o bonde nunca passou por ali.. 
Endereço: Rua Caramuru, Cidade Alta, Centro.

Centro Histórico de Vitória - Atrativos

O Centro Histórico de Vitória possui inúmeros atrativos. Segue-se uma lista com alguns deles, já separados por grupos de interesse. 

Construções

O Interior do Theatro Carlos Gomes, em Vitória
O Interior do Theatro Carlos Gomes
    
Escadarias
    

Espaços Culturais
   
MAES - Museu de Arte do Espírito Santo
MAES - Museu de Arte do Espírito Santo


Igrejas

Convento de São Francisco, em Vitória
Convento de São Francisco, em Vitória


Monumentos e Praças

O Parque Municipal da Gruta da Onça, em Vitória
O Parque Municipal da Gruta da Onça


Ruas e Avenidas



Veja também


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Anchieta, Espírito Santo

Anchieta é uma cidade localizada no litoral do Espírito Santo, a 75km da capital, Vitória, e ao lado da badalada GuarapariA cidade possui belas praias, rios, lagos e manguezais.

Suas origens estão ligadas a uma aldeia indígena catequizada por jesuítas. Entre 1565 e 1569, o padre jesuíta José de Anchieta fundou a povoação de Rerigtiba, que, em dialeto tupi-guarani, significa “lugar de muitas ostras”. 

Neste local, Anchieta se fixou e passou boa parte da sua vida. E ali construiu, em 1579, um templo dedicado à Nossa Senhora da Assunção. Esta construção fica na encosta do morro do Rio Benevente.

Igreja Nossa Senhora da Assunção, Anchieta
Igreja Nossa Senhora da Assunção, Anchieta

Anchieta escolheu a região para passar os últimos dez anos de sua vida. Talvez, por evocar La Laguna de Tenerife, nas Ilhas Canárias, litoral da Espanha, a sua terra natal.

O padre Anchieta percorria a pé o trajeto entre a vila de Rerigtiba e o Colégio São Thiago, em Vitória.


domingo, 24 de julho de 2011

Igreja do Rosário - Vila Velha

A construção da Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário começou em 1535, logo após a chegada de Vasco Fernandes Coutinho. As obras da igreja mais antiga do Espírito Santo e quarta do país acabaram em 1551.

Igreja do Rosário - Vila Velha
Igreja do Rosário

Ao seu lado, palmeiras imperiais emolduram o ambiente. A fachada da igreja,  reconstruída no século XVIII, exibe o brasão de Portugal.

Veja também

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design